Misericórdia, Senhor! Estou em desespero! A tristeza me consome a vista, o vigor e o apetite. Minha vida é consumida pela angústia, e os meus anos pelo gemido; falta-me a força devido à minha aflição, e os meus ossos se enfraquecem. Salmos 31:9,10

A perspectiva médica

Humor deprimido ou falta de interesse ou prazer nas coisas, perda ou ganho considerável de peso, diminuição ou aumento do apetite, insônia ou aumento do sono (hipersonia), agitação ou retardo psicomotor, fadiga ou perda de energia, sentimentos de inutilidade, sentimento de culpa excessivo ou inadequado, redução da capacidade de raciocínio ou concentração, indecisão, pensamentos recorrentes de morte, tentativa de suicídio.

Se você for a um médico psiquiatra apresentando cinco (ou mais) dos sintomas acima, quase todos os dias, por um período de pelo menos duas semanas, você provavelmente receberá o diagnóstico de Transtorno Depressivo Maior, conhecido popularmente como depressão*. Embora esse seja o diagnóstico mais provável, dependendo dos seus sintomas e da percepção do médico, é possível que você receba outros diagnósticos diferentes**. Infelizmente não existem exames de laboratório ou imagem para diagnóstico das doenças mentais.

  • *Estou usando o termo Depressão neste texto como equivalente ao Transtorno Depressivo Maior para facilitar o entendimento do leitor, mas é importante lembrar que existem diferentes categorias diagnósticas conforme a frequência, a severidade e a presença de outros sintomas associados.
  • **Estudiosos especialistas no assunto têm questionado os critérios para diagnóstico das chamadas doenças mentais. Alguns autores mais críticos argumentam que o DSM-5 carece de significado científico, apresentando um alto grau de inconsistências e contradições. Além disso, existem muitas doenças orgânicas, com uma causa identificável, que podem manifestar sintomas de depressão. Alguns exemplos incluem: doenças endócrinas (glândulas tiróide, paratiróide, supra-renal), deficiência de vitaminas (folato, niacina, vitamina C, vitamina B12), hepatite, doenças cardíacas e reumatológicas, entre outras. Medicamentos usados para tratar diferentes doenças também podem causar sintomas depressivos. Alguns exemplos incluem: remédios para pressão alta e problemas do coração, corticóides, hormônios femininos e anticoncepcionais, antibióticos, os próprios remédios antidepressivos, entre outros. Nesses casos, o diagnóstico e tratamento da doença orgânica ou a suspensão do medicamento pode ser suficiente para eliminar os sintomas depressivos.

O tratamento médico mais comumente indicado para a depressão inclui remédios antidepressivos e acompanhamento psicológico. Aproximadamente 30-50% das pessoas que iniciam o tratamento com antidepressivos apresenta alguma melhora dos sintomas. Entretanto, os possíveis efeitos colaterais, dependendo da medicação, incluem sedação, boca seca, dificuldades visuais, constipação, sudorese excessiva, palpitações, retenção de urina e insuficiência cardíaca. Nos idosos, os antidepressivos também podem levar a confusão mental. De fato, muitos pacientes não toleram os efeitos colaterais dos antidepressivos e preferem suspender o uso.

Aproximadamente 40% dos pacientes com diagnóstico de depressão não têm qualquer melhora dos sintomas com a medicação e buscam formas alternativas de tratamento, com resultados geralmente semelhantes. O acompanhamento psicológico oferece alguma ajuda, mas os resultados são equivalentes ou inferiores ao tratamento com antidepressivos.

Portanto, apesar de todo esforço das equipes médicas, o tratamento da depressão está longe de ser resolutivo e novas estratégias de prevenção e tratamento são extremamente importantes.

A perspectiva bíblica

[Cristo me enviou] para pregar o evangelho, não com palavras de sabedoria humana, para que a cruz de Cristo não seja esvaziada. Cristo, Sabedoria e Poder de Deus. Pois a mensagem da cruz é loucura para os que estão perecendo, mas para nós, que estamos sendo salvos, é o poder de Deus. 1 Coríntios 1:17,18

O evangelho de Jesus é uma boa notícia para aqueles que lutam com a depressão. Cristo é a Sabedoria e o Poder de Deus oferecidos de graça para todo aquele que crê. Em um mundo complicado pela presença do mal, o cristianismo bíblico apresenta uma visão holística do ser humano, que inclui certamente o aspecto físico-orgânico, mas também considera o homem interior (coração). As boas notícias de Jesus estão expressas na Bíblia do início ao fim. Assim, a Bíblia nos oferece um panorama amplo da vida, que inclui formas ao mesmo tempo abrangentes e profundas de lidar com o sofrimento.

A Bíblia fala sobre compaixão.

A Bíblia fala sobre nossa saúde física e espiritual.

A Bíblia fala sobre tratar os enganos do nosso coração.

A Bíblia fala sobre ouvir o conselho dos sábios.

A Bíblia fala sobre rejeitar o conselho e o caminho dos ímpios.

A Bíblia fala de esperança.

A Bíblia fala sobre o frutificar em Cristo.

Na próxima postagem, veremos o que a Bíblia fala sobre cada um dos tópicos acima e como o aconselhamento bíblico oferece apoio e esperança para aquele que luta com a depressão. Enquanto isso, lembre-se que O SENHOR é bom, um refúgio em tempos de angústia. Ele protege os que nele confiam (Naum 1:7). Ele fortalece o cansado e dá grande vigor ao que está sem forças (Isaías 40:29). Essa é, de fato, uma boa notícia para o deprimido!

________________________________

Alexandre Valotta é médico, doutorado e pós-doutorado em neurociências. Dr Alexandre é pós-graduado em aconselhamento bíblico e serve na Igreja Batista de Bragança Paulista com sua esposa Adréa e seus dois filhos, Isabella e André.

Bibliografia 

  1. Allsopp et al. Heterogeneity in psychiatric diagnostic classification. Psychiatry Research 279 (2019) 15–22. doi: 10.1016/j.psychres.2019.07.005.
  2. Otte et al. Major depressive disorder. Nat Rev Dis Primers 2 (2016) 16065. doi:10.1038/nrdp.2016.65.
  3. Edward T Welch. The Counselor’s Guide to the Brain and Its Disorders. Christian Counseling & Educational Foundation. 2015.
  4. Edward T Welch. A culpa é do cérebro? Distinguindo desequilíbrios químicos, disturbios cerebrais e desobediência. Editora Peregrino. 2019.
  5. Michael R Emlet. Descrições e Prescrições. Uma perspectiva Bíblica sobre os diagnósticos e medicamentos psiquiátricos. Editora Peregrino. 2018.
  6. Heath Lambert. O evangelho e as doenças da mente. Editora Peregrino. 2017.
  7. David Powlison. A graça de Deus no seu sofrimento. Editora Fiel. 2018.